Histórias da Medicina Portuguesa

No termo de uma vida de trabalho, todos temos histórias a contar. Vamos também aprendendo a ler a História de um modo pessoal. Este blogue pretende viver um pouco da minha experiência e muito dos nomes grandes que todos conhecemos. Nos pequenos textos que apresento, a investigação é superficial e as generalizações poderão ser todas discutidas. A ambição é limitada. Pretendo apenas entreter colegas despreocupados e (quem sabe?) despertar o interesse pela pesquisa mais aprofundada das questões que afloro.
Espero não estar a dar início a um projecto unipessoal. As portas de Histórias da Medicina estão abertas a todos os colegas que queiram colaborar com críticas, comentários ou artigos, venham eles da vivência de cada um ou das reflexões sobre as leituras que fizeram.

sexta-feira, 1 de Janeiro de 2010

LUÍS DE ALMEIDA - MÉDICO E MISSIONÁRIO


Luís de Almeida pertencia a uma família de cristãos novos e terá nascido em Lisboa em 1525. Estudou Latim e Medicina. Em 1546, Mestre Gil, Cirurgião-Mor do Reino, declarou-o apto para a prática de Medicina e Cirurgia.
Almeida embarcou para a Índia em 1548. Durante a viagem, realizou um estágio proveitoso, tomando contacto com as doenças de marinheiros e viajantes e procurando tratá-las.
Em Goa, no entanto, pôs a Medicina de lado. Fez-se mercador e deslocou-se várias vezes ao Japão em proveitosas viagens de negócios. Por volta dos trinta anos, terá sido tocado pelo apelo de Deus. Em 1555, em Funai, foi admitido na Companhia de Jesus, à qual doou todos os seus bens.
Luís de Almeida trabalhou de 1556 a 1561 no Hospital de Bungo, que ajudou a fundar. Organizou a administração do Hospital seguindo o padrão da conhecida Irmandade da Misericórdia. Recolhia esmolas de portugueses e japoneses. Era com elas que sustentava o Hospital e ajudava os doentes pobres. Formou uma pequena confraria, à maneira portuguesa: há doze japoes irmaos deste esprital, dos quaes dous cada anno tem cuidado delle... Tem seu regimento, como se hao receber os enfermos e gastar as esmolas...
Os medicamentos eram encomendadados em Goa e Macau. Mais tarde, passaram também a ser adquiridos na China. Cheio de trabalho, Almeida começou muito cedo a instruir alguns jovens japoneses que se tornaram seus colaboradores. Nasceu assim a que viria a ser chamada Escola Cirúrgica dos Bárbaros do Sul. Os bárbaros do Sul éramos nós.
A missionação era a actividade principal de Luís de Almeida e a o exercício da Medicina não passava de um meio. Cada cura representava um avanço na evangelização e cada insucesso terapêutico um passo atrás. Escreveu Almeida que não costumava dar medicamentos às pessoas notáveis pelo grande perigo que podia resultar de um mau desfecho do tratamento.
Em 1579, Almeida voltou a Macau ultimar a prepararação para se fazer padre. Foi ordenado sacerdote no começo de 1580. Morreu em Kawachinoura em 1583.
Luís de Almeida foi o primeiro português a chegar a Nagasaki, em 1567. Introduziu no Japão a Medicina e a Cirurgia europeias. Não foi, contudo, o primeiro europeu a fazer de médico no Japão. Fernão Mendes Pinto estivera em Bungo em 1543. Ao verificar que o acesso à medicina chinesa era difícil e caro e que qualquer novidade na área dos cuidados médicos se podia tornar bem-vinda, exerceu medicina e praticou cirurgia, sem ter aprendido nem uma coisa nem outra. Na opinião do próprio, teve um sucesso assinalável.
Almeida não fez mais porque, segundo C.R. Boxer, a medicina europeia daquela época tinha pouco para ensinar. Ainda assim, o jesuíta português introduziu no Japão o moderno conceito de Hospital.
O êxito fulgurante da introdução do cristianismo no Japão, levado a cabo por um punhado de missionários da Companhia de Jesus, surpreende quem lê a História desse tempo. Foi, contudo, sol de pouca dura. A generalização do uso das armas de fogo, ao acentuar o desequílibrio dos combates, apressou a unificação política do País. A receita adoptada fora já experimentada em Espanha no final do século XV: um País, um Rei, uma Religião. Os cristãos foram exterminados.
Dos esforços de Luís de Almeida e dos seus companheiros, resta a memória. Existe hoje em Oita (antiga Funai) o Hospital Luís de Almeida.

Referências:
Yuuki, Diego. Luis de Almeida. Instituto Cultural de Macau 1989.
Rasteiro, Alfredo. Medidina Portuguesa no Japão, 1452-1640. Portal da Ordem dos Médicos.

Sem comentários:

Enviar um comentário